Todos os artigos de cmeempresas

NERSANT quer qualificar turismo do Ribatejo

O setor do turismo é uma atividade económica estratégica para o desenvolvimento económico e social do país, designadamente para o emprego e para o crescimento das exportações. Neste sentido, a NERSANT tem em marcha na região do Ribatejo, um programa de formação-ação, o Melhor Turismo 2020, que permite às empresas do setor aceder a formação e consultoria com financiamento de 90%.
O projeto, que tem já cerca de 40 empresas a participar, está ainda aberto e a aceitar a inscrição das empresas do setor da hotelaria e turismo interessadas em qualificar os seus recursos humanos.O programa tem como objetivos aumentar a capacidade de gestão das empresas participantes, promover a reorganização, a inovação e a mudança e a qualificação dos seus recursos humanos em domínios relevantes.

Espera-se que as empresas participantes, através da metodologia inovadora utilizada pelo programa, consigam modernizar os seus modelos de negócio e melhorar a organização e as suas práticas de gestão. Tudo com o objetivo de diversificar a oferta e contribuir para a afirmação de Portugal como destino turístico de referência e ainda de referenciar o país como destino reconhecido pela qualidade e excelência dos seus serviços turísticos.

Quanto à metodologia de intervenção junto das empresas, a mesma baseia-se em ações de formação em sala, presenciais, mas também e sobretudo, em consultoria. Um consultor sénior especializado acompanhará as empresas participantes no Melhor Turismo 2020, efetuando, em primeira instância, um diagnóstico à empresa, e trabalhando num plano de ação onde estão identificados os problemas a resolver e os objetivos a atingir em termos de desenvolvimento de competências e de evolução organizativa e de performance da empresa.

Com a dinamização deste programa de formação-ação, a NERSANT está em consonância com o Governo, que acabou de lançar a Estratégia para o Turismo 2027, que investe num planeamento participado da atividade turística e define diversas ações estratégias, como a formação, por exemplo, para elevar o turismo nacional.

As empresas do setor do turismo interessadas em participar no projeto, devem contactar o Departamento de Formação e Qualificação da NERSANT, através dos contactos dfq@nersant.pt ou 249 839 500. De referir que o projeto Melhor Turismo 2020 é um programa de formação-ação (formação e consultoria) desenvolvido pela NERSANT em parceria com a CTP – Confederação do Turismo Português. É financiado pelo Compete 2020 no âmbito dos fundos comunitários.

Agendado encontro do setor do turismo do Ribatejo

Com o objetivo de analisar e refletir com as empresas do turismo sobre o mercado do setor no Ribatejo e o que pode ser a intervenção futura das associações empresariais, do setor público e outras entidades ligadas ao setor, a NERSANT vai realizar o 1º Encontro Viver o Tejo, no dia 15 de novembro, em Torres Novas.

As empresas participantes no projeto de formação-ação Melhor Turismo 2020 (assim como as aderentes ao Viver o Tejo), beneficiam de inscrição gratuita no evento. O programa está disponível no portal da NERSANT, em www.nersant.pt, onde os interessados devem efetuar também a sua inscrição.

Anúncios

Exposição de Postais do Mundo – Postcrossing

No âmbito das comemorações do Dia Mundial do Turismo que se assinala no dia 27 de setembro, a Câmara Municipal do Entroncamento promove uma exposição de Postais do Mundo.

Os postais que irão estar expostos no Átrio da Câmara Municipal, são pertença de uma coleção privada e foram obtidos através de Postcrossing que em português significa cruzamento de postais. Trata-se de um projeto que consiste na troca aleatória de postais através da internet entre membros registados que enviam um postal e recebem pelo menos um, de um outro utilizador, de qualquer país do mundo.

A exposição poderá ser visitada a partir de amanhã, das 08h30m às 17h30m.

cartaz

CURSOS PROFISSIONAIS NO MÉDIO TEJO – OFERTA FORMATIVA 2017-2018

Rede Homologada dos Cursos Profissionais 2017-2018

Os cursos profissionais são um dos percursos possíveis no nível secundário de educação e encontram-se abertos a toda a comunidade educativa. Como têm uma forte ligação ao sector empresarial local da região do Médio Tejo, são uma boa porta de entrada para o mercado de trabalho.

Estes cursos são uma das escolhas possíveis para os jovens que:
– Tenham concluído o 9.º ano de escolaridade ou formação equivalente;
– Procurem um ensino mais prático e voltado para o mundo do trabalho;
– Não excluam a hipótese de, mais tarde, prosseguir estudos num Curso de Especialização Tecnológica ou aceder ao ensino superior.

Após a conclusão, com aproveitamento, de um curso profissional, os jovens obtêm o ensino secundário e certificação profissional, conferindo o nível 4 de qualificação do Quadro Nacional de Qualificações. Os cursos profissionais fazem parte da oferta formativa das escolas profissionais (públicas ou privadas), bem como das escolas secundárias da rede pública.

Um curso profissional de dupla certificação prepara e motiva os jovens para enfrentar o mercado de trabalho. Descubra a oferta formativa existente no Médio Tejo!

Para qualquer dúvida não hesite contatar a CIMT- Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo – ou enviar um email para formacaocimt@cimt.pt

 

Fonte: Mediotejo

MOOVIDEIAS | Prolongamento do Prazo de Inscrição

O Concurso de Ideias de Negócio “MOOVIDEIAS” é um programa de aceleração focado no desenho e validação de modelos de negócio que valoriza o conhecimento técnico e a sua orientação para o mercado, estimula a criatividade, minimiza o risco de apostas em projetos não sustentáveis, levando os empreendedores a testarem os seus produtos/serviços junto de potenciais clientes, com o objetivo de criação de empresas sustentáveis e competitivas que contribuam para a economia regional e nacional.


O programa concebido apresenta uma combinação inovadora de metodologias com provas dadas em programas de empreendedorismo de estímulo à criatividade, desenvolvendo as competências pessoais dos empreendedores em ambiente empresarial consideradas como fundamentais em modelos de aceleração de referência a nível mundial.

Com esta iniciativa pretende-se apoiar empreendedores e projetos sustentáveis que contribuam para a dinâmica do Ecossistema Empreendedor do Médio Tejo.

Brochura MOOVIDEIAS


Quando me posso candidatar?

 Fase da apresentação das ideias de negócio  Local de realização
 1.ª Edição  21.04.2017 a 26.05.2017  Tomar

Nota: está prevista a realização de mais 3 edições deste concurso.

Datas das Sessões de Aceleração (1.ª Edição)

 Tema da Sessão Data  Horário
 Sessão 1  “Ideation  2 e 3 de junho  18:00-20:30 e 09:30-12:00
 Sessão 2  “Modelo de Negócios”  9 de junho  A confirmar
 Sessão 3  “Ir para o Mercado”  23 de junho  A confirmar
 Sessão 4  “Financiamento”  30 de junho  A confirmar
 Sessão 5  “Plano de Negócios”  14 de julho  A confirmar

Nota: no fim da Sessão 5, serão atribuídos os prémios.

FAQ’s

Veja aqui respondidas as perguntas mais frequentes.


Normas de Funcionamento

Consulte aqui as Normas de Funcionamento.


Ficha de Inscrição

Inscreva-se aqui.


Financiamento

O Concurso de Ideias de Negócio “MOOVIDEIAS” é uma iniciativa do projeto “Médio Tejo – Vive o Empreendedorismo”, financiado pelo Programa Operacional Regional do Centro (Centro 2020), através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Origem

ASAE promover ação de esclarecimento sobre segurança alimentar

IMG_5482-640x427.jpg

O auditório da Escola de Hotelaria de Fátima vai acolher no dia 18 de abril, pelas 15 horas, uma sessão de esclarecimento sobre segurança alimentar, promovida pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), em colaboração com o Município de Ourém, ACISO – Associação Empresarial de Ourém e Fátima e Escola de Hotelaria de Fátima.

A sessão destina-se aos empresários do setor do turismo, responsáveis dos estabelecimentos de hotelaria, restauração e bebidas e ao público em geral e tem como principal objetivo contribuir para a melhoria e qualificação dos estabelecimentos, nomeadamente o esclarecimento dos seus responsáveis.
O programa conta com a participação de Paulo Fonseca, Presidente da Câmara Municipal de Ourém, Pedro Portugal Gaspar, Inspetor Geral da ASAE, Fernando Santos Pereira, Subinspetor geral da ASAE e Maria Fernanda Mendes, Inspetora da ASAE.
A participação é gratuita, mas carece de inscrição para carla.nunes@mail.cm-ourem.pt; telefone: 911 750 283.

Viver o Comércio Especial Páscoa

Decorre no próximo sábado, dia 15 de abril, mais uma edição do Projeto “Viver o Comércio”.

Dirigidas ao público em geral, as atividades decorrem na Praça Salgueiro Maia e na Rua Luís Falcão de Sommer, com a seguinte programação:

 

09h30 | 18h00 – Mostra de Artesanato

Rua Luís Falcão de Sommer

10h30 | 12h00 – Ateliê infantil alusivo à Páscoa

Praça Salgueiro Maia

10h30 | 12h30 e 15h00 | 17h00 – Insuflável

Praça Salgueiro Maia

 

Participe! Venha “Viver o Comércio”

Regulamento do novo SI2E – SI Empreendedorismo e Emprego

https://www.blogger.com/static/v1/jsbin/784472057-ieretrofit.js
Apoio ao Investidor Turismo Centro de Portugal: Regulamento do novo SI2E – SI Empreendedorismo e Emprego

Foi publicada a Portaria n.º 105/2017, de 10 de março, que define o regulamento geral do Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego (SI2E).
O SI2E pretende contribuir para os objectivos das políticas públicas relacionadas, com o Programa Nacional para a Coesão Territorial, estimulando o surgimento de iniciativas empresariais e a criação de emprego em territórios de baixa densidade e por essa via promove o desenvolvimento e a coesão económica e social do país, mas também com as políticas activas de emprego desenvolvidas.
Beneficiários: micro ou pequenas empresas legalmente constituídas
Âmbito territorial: O SI2E tem aplicação em todo o território do continente, em função das áreas territoriais previstas nas Estratégias de Desenvolvimento Local (gerido pelos GAL – Grupos de Acção Local), nos PDCT (geridos pelas CIM – Comunidades Intermunicipais) ou de territórios especificamente definidos nos avisos de abertura de candidaturas.
Limites de investimento elegível:
– Até 100 mil euros, nas Intervenções GAL;
– Superior a 100 mil e até 235 mil euros, nas Intervenções CIM
Incentivos:
 
1. Investimento físico, na componente FEDER – incentivo não reembolsável
a) Taxa base: 40% para os investimentos localizados em territórios de baixa densidade (de acordo com o que vem definido no Programa Nacional para a Coesão Territorial) ou 30% para os investimentos localizados nos restantes territórios;
b) Majorações até um máximo de 20 pontos percentuais a definir em sede de aviso de abertura de candidaturas em função dos seguintes fatores:
i) Projetos de criação de micro e pequenas empresas ou expansão ou modernização de micro e pequenas empresas criadas há menos de cinco anos;
ii) Projetos enquadrados em prioridades especialmente relevantes para os territórios em causa.
 
2. Investimento em criação de emprego, na componente FSE
Comparticipação das remunerações de postos de trabalho criados e tem como limite mensal o valor correspondente ao Indexante de Apoio Social (IAS, que em 2017 é de 421,32€), observando os seguintes períodos máximos por tipo de contrato e majorações:
a) Período base: 9 meses, para contratos de trabalho sem termo ou criação do próprio emprego, ou de 3 meses, para contratos de trabalho a termo com uma duração mínima de 12 meses;
b) Majorações de 3 meses, para as Intervenções GAL, e 2,5 meses com um máximo de 6 meses, para as restantes situações, por cada uma das seguintes situações:
i) Projetos localizados em territórios de baixa densidade;
ii) Projetos de criação de empresas;
iii) Para trabalhadores do género sub-representado ou para trabalhadores qualificados nos termos definidos nas alíneas g) e m) do artigo 2.º;
Resumo das despesas elegíveis:
1. Investimento físico, na componente FEDER
a) Custos de aquisição de máquinas, equipamentos, respetiva instalação e transporte;
b) Custos de aquisição de equipamentos informáticos, incluindo software;
c) Software standard ou desenvolvido especificamente para a atividade da empresa;
d) Custos de conceção e registo associados à criação de novas marcas ou coleções;
e) Custos iniciais associados à domiciliação de aplicações, adesão inicial a plataformas eletrónicas, subscrição inicial de aplicações em regimes de «software as a servisse», criação e publicação inicial de novos conteúdos eletrónicos, bem como a inclusão ou catalogação em diretórios ou motores de busca;
f) Serviços de arquitetura e engenharia relacionados com a implementação do projeto;
g) *Material circulante diretamente relacionado com o exercício da atividade em que seja imprescindível à execução da operação;
h) Estudos, diagnósticos, auditorias, planos de marketing e projetos de arquitetura e de engenharia;
i) Obras de remodelação ou adaptação;
j) Participação em feiras e exposições no estrangeiro:
 
2. Investimento em criação de emprego, na componente FSE
a) Criação do próprio emprego;
b) Criação de postos de trabalho para desempregados inscritos há mais de 6 meses no Instituto do Emprego e Formação Profissional, I. P. (IEFP, I. P.), incluindo desempregados de longa e muito longa duração;
c) Criação de postos de trabalho para jovens até 30 anos à procura do primeiro emprego inscritos no IEFP, I. P., como desempregados há pelo menos 2 meses.
Resumo das principais despesas não elegíveis:
a) Compra de imóveis, incluindo terrenos;
b) Trespasse e direitos de utilização de espaços;
c) Aquisição de veículos automóveis, aeronaves e outro material de transporte ou aeronáutico que não estejam incluídos na alínea g) do n.º 1 do artigo 10.º; *
d) Aquisição de bens em estado de uso;
A leitura deste resumo não deve substituir uma leitura integral da Portaria, do Regulamento Específico do Domínio da Inclusão Social e Emprego, aprovado em anexo à Portaria n.º 97 -A/2015, de 30 de março, alterado pela Portaria n.º 181-C/2015, de 19 de junho, e pela Portaria n.º 265/2016, de 13 de outubro, nem o contacto directo com as entidades gestoras dos fundos.
Siga no facebook
Mais informação

Programa Empreende Já

Candidaturas das/os jovens decorrem até 6 março de 2017.

O Empreende já é uma medida integrada no Plano Nacional de Implementação de uma Garantia para a Juventude, cofinanciado pelo POISE — Programa Operacional Inclusão Social e Emprego, no âmbito do eixo prioritário 2 – Iniciativa Emprego Jovem.

Destina-se a apoiar a criação e o desenvolvimento de empresas e de entidades da economia social, assim como a criação de postos de trabalho, por jovens com idades compreendidas entre os 18 e os 29 anos que não trabalham, não estudam e não se encontram em Formação (Jovens NEET).

O programa terá duas edições entre 2016 e 2018, cada uma com duas ações distintas.

Ação 1 destina-se a apoiar o desenvolvimento de projetos de aquisição de competências por parte das/os jovens, onde o IPDJ pretende envolver 630 jovens NEET dos 18 aos 29 anos;

Ação 2 – destinada a apoiar a sustentabilidade de entidades e de postos de trabalho criados ao abrigo do programa, resultantes de projetos desenvolvidos por jovens empreendedores na primeira ação.

Na primeira ação, os jovens empreendedores terão, durante 6 meses, uma bolsa mensal de apoio financeiro de 691,70€, equivalente a 1,65 do Indexante de Apoio Social (IAS), e os que passarem para a segunda ação receberão 10.000 euros para apoio à constituição e sustentabilidade da empresa ou entidade de economia social criada.

As candidaturas das/os jovens são efetuadas online, na plataforma programa em https://eja.juventude.gov.pt até 6 março de 2017.

Para mais informações contatar esta Direção Regional de Lisboa e Vale do Tejo, através do seguinte contacto:

Paula Costa/José Branco (Tel.: 243 350 410 | E-mail: paula.costa@ipdj.pt/jose.branco@ipdj.pt)